CORTES NOS BENEFÍCIOS | 85% das perícias feitas no Piauí não têm direito ao benefício do INSS

Nos Estados

Balanço é referente aos últimos 18 meses. As perícias são realizadas em caso de auxílio-doença ou para aposentadoria por invalidez.

Nos últimos 18 meses, foram realizadas cerca de 15 mil perícias no Piauí pelo Instituto Nacional da Seguridade Social (INSS). Deste total, em média, 85% das pessoas que realizaram o procedimento não tinham direito ao benefício. Essas perícias são realizadas em duas circunstâncias: em caso de auxílio-doença ou para aposentadoria por invalidez.

O processo, iniciado em 2016 em todo o Brasil, é comumente chamado de “pente fino”, conforme explica Ney Ferraz, gerente executivo do INSS. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, de agosto de 2016 até 30 de junho deste ano, foram realizadas 791,4 mil perícias em todo o país, com 450,2 mil auxílios-doença ou aposentadorias por invalidez cancelados. A previsão do Governo Federal é realizar 1,5 milhão de perícias até dezembro deste ano.

A lavradora Francisca Moura veio do município de Simplício Mendes acompanhando o esposo, Hildeci José de Sousa, para fazer a perícia no prédio do INSS, no Centro de Teresina. Ela conta que o esposo sofreu um derrame em 2008 e, a partir daí, a família tentou conseguir o benefício da aposentadoria por invalidez, aprovado em 2011.

“Daí pra cá, ele não foi chamado para fazer perícia. Quando foi segunda-feira [27], ele foi tirar o benefício e estava bloqueado. Ele vinha recebendo normal, não fez perícia, não tinha problema nenhum. Eu liguei para o INSS e marcamos pra cá. Com a perícia, espero resolver a situação”, explica. Após o resultado da perícia, e em caso positivo, Hildeci deve aguardar dez dias para receber o pagamento.

Todavia, o gerente Ney Ferraz ressalta que o processo de revisão do benefício não ocorre, necessariamente, porque o beneficiário tenha cometido algum tipo de ilegalidade, mas por uma irregularidade da situação dele junto ao órgão. No caso daqueles que já se encontram aptos para trabalhar, o benefício é suspenso.

O edital de convocação, publicado no final de julho, fez a chamada para os beneficiários de aposentadoria por invalidez e auxílio-doença que não foram localizados por causa de endereço desatualizado ou errado, e que não realizaram o agendamento da perícia ou apresentaram informações incompletas. O prazo para o agendamento do exame terminou no último dia 13 e as pessoas que não o realizaram tiveram o benefício bloqueado.