MUITA ATENÇÃO | Idosa perde R$ 10 mil em golpe do bilhete premiado em Americana

Notícias

O Liberal - Vítima foi abordada por uma mulher na Praça Basílio Rangel; golpista disse que havia ganho na loteria e pediu ajuda para retirar prêmio

Uma idosa de 70 anos caiu no golpe do bilhete premiado e perdeu R$ 10 mil nesta sexta-feira (8), em Americana. Uma mulher fez a vítima acreditar que tinha ganhado na loteria e que precisava de ajuda para retirar o prêmio. Em troca, a presentearia com uma boa quantia. A golpista contou com a ajuda de uma outra mulher e de um homem.

O crime aconteceu por volta das 14h40. A idosa caminhava pela Praça Basílio Rangel, no centro da cidade, quando foi abordada por uma mulher dizendo que havia ganho na loteria, mas que não poderia retirar o prêmio porque estava sem os documentos. A golpista, então, teria pedido a ajuda da idosa. Nesse momento, uma segunda mulher se aproximou e disse que também poderia colaborar. Ela era, na verdade, comparsa da suposta ganhadora.

A golpista pediu que as duas a acompanhassem até uma casa lotérica para comprovar que realmente havia ganho um prêmio. A idosa declarou à polícia ter ido junto com as mulheres em uma lotérica e disse que lá um idoso (também suspeito) confirmou a premiação.

A golpista, por sua vez, pediu que a idosa e a outra mulher (comparsa dela) lhe dessem uma quantia em dinheiro como prova de confiança. A idosa aceitou e acompanhada pelas mulheres seguiu até uma agência do Itaú. Ela sacou R$ 10 mil e entregou para a suspeita. De lá, as três teriam ido até uma unidade da Caixa Econômica Federal, mas já passava das 16 horas.

A golpista disse que por conta do horário só poderia retirar o prêmio na segunda-feira. Ela afirmou, então, que devolveria os R$ 10 mil a idosa e ambas voltariam a se encontrar no começo da semana. A suspeita entregou um maço de dinheiro para a vítima e deixou o local. Quando a idosa foi conferir, descobriu que as primeiras notas eram falsas e que o restante era papel. Foi então, que percebeu que havia caído em um golpe.

O crime foi registrado na CPJ (Central de Polícia Judiciária). Os golpistas, no entanto, não foram identificados até o fechamento desta edição.