POSIÇÃO DO GOVERNO | Ministro do planejamento diz que 'conta com reformas' ainda este ano

Notícias

Destak - O governo enviou no início do ano 15 medidas microeconômicas para o Congresso Nacional; em ano de eleição, as votações estão inconclusas

O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, afirmou nesta segunda-feira (11) que acredita na aprovação de reformas neste ano. Ao ser questionado sobre o calendário do ano eleitoral, que impacta a atividade legislativa, ele defendeu que o cenário é de "oportunidade".

"Eu conto muito com as reformas. Na realidade eu entendo que nós temos uma oportunidade para crescer, para nos desenvolver.  Temos a dificuldade, é um ano natural de ter dificuldade, um ano de eleição.  Mas eu conto com a aprovação de várias reformas microeconômicas ainda esse ano", respondeu à jornalistas em evento no Ministério do Planejamento, em Brasília.

Sem citar a previdência, ele pontuou medidas microeconômicas. "Por exemplo, eu posso falar do cadastro positivo, duplicada eletrônica, nova lei de licitações, que é um conjunto de medidas", destacou.

Nesta manhã, o Ministério apresentou dois cenários de crescimento do país no lançamento da Estratégia Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (Endes). Em uma eles, com a realizações de reformas "amplas" defendidas pelo governo federal há uma estimativa de crescimento médio para o PIB de 3,86% para os próximos 12 anos. Já uma segunda, apenas com reformas estruturais, com avanço de 2,35% do PIB.

No melhor cenário de crescimento, são consideradas a aprovação da reforma da previdência e também as reformas administrativas além de medidas microeconômicas. Colnago afirmou durante a apresentação que o resultado depende do próximo governo, sinalizando que nem todas as mudanças serão realizadas até o final do ano.

O documento da Estratégia Nacional ficará disponível para consulta pública por 60 dias. O texto poderá ser utilizado no processo de transição de governo.