Últimas Publicações

Grid List

G1 - Pensionistas gregos se acotovelavam em longas filas (2/6) para tentar entrar em um número limitado de bancos que foram abertos especialmente para pagar benefícios de aposentadoria, segundo a Reuters. A Grécia fechou seus bancos esta semana para evitar uma fuga em massa de dinheiro, diante do impasse de sua dívida internacional. Isso porque, assustados com a crise, gregos fizeram filas para tirar seu dinheiro dos bancos, o que poderia quebrar as instituições.

Por Ricardo Flaitt (Alemão), de Brasília – O Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos e a Central Força Sindical monitoram, de forma permanente, as ações no Congresso Nacional (Câmara dos Deputados e Senado Federal) para assegurar e ampliar os direitos dos 26 milhões de aposentados brasileiros.

Por Ricardo Flaitt (Alemão) – João Batista Inocentini, presidente licenciado do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos, foi nomeado Secretário Nacional do partido Solidariedade. A apresentação oficial aconteceu hoje (29/6), às 9 horas, na sede do partido, em São Paulo, durante com participação de representantes de todo o país.

Câmara dos Deputados - Em audiência na Câmara, Dalmo Dallari defendeu que o Poder Judiciário garanta o acesso do cidadão a seus direitos. Para outros participantes do debate, judicialização do setor prejudica o restante dos brasileiros e municípios mais pobres

R7 - O Congresso aprovou o fim do fator previdenciário, aprovando a fórmula 85/95 (soma do tempo de contribuição e idade para as mulheres 85 e Homens 95). A Presidente Dilma vetou o projeto e apresentou novas regras para a aposentadoria mantendo, inicialmente, a alternativa dos 85/95, acrescentando a progressividade a partir de 2017 quando essa soma vai subir um ponto, outro ponto em 2019 e, a partir de então um ponto a cada ano até chegar a 90/100 em 2022.

Leone Farias | Do Diário do Grande ABC - Os aposentados que seguem trabalhando têm direito à incorporação do tempo adicional no benefício, segundo o STJ (Superior Tribunal de Justiça). No entanto, essa Corte não permite que, em caso de morte desse segurado, seus herdeiros pleiteiem a diferença no valor da pensão. Isso foi o que decidiu recentemente a 2ª Turma do STJ, que negou pedido de uma viúva que queria contar o período a mais trabalhado pelo marido morto que continuou na ativa após se aposentar.


A Corte já firmou o entendimento de que cabe a desaposentadoria, ou seja, a possibilidade de a pessoa renunciar ao benefício da aposentadoria por outro mais vantajoso que agregue mais tempo em atividade. Falta apenas a palavra final do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre esse tema.

No entanto, para o ministro Humberto Martins, relator do caso do pedido de depensão no STJ, a depensão não se aplica. “O direito é personalíssimo do segurado aposentado, pois não se trata de mera revisão do benefício de aposentadoria, mas sim de renúncia, para que novo e posterior benefício, mas vantajoso, seja-lhe concedido”, disse, no processo.

Com isso, foi mantida decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (que abrange os Estados do Sul do País), contrária á viúva.

A decisão é a primeira do STJ sobre o tema e abre precedente para outras, mas não é ainda uma posição consolidada dessa instância judicial, cita a advogada Jane Berwanger, que é presidente do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário). Ela lembra que outros tribunais regionais federais têm aceitado a tese da despensão.

A FAVOR - Recentemente, houve uma decisão favorável à despensão na Justiça Federal de São Paulo, por meio da qual a pensionista teve seu rendimento quase duplicado: passou de R$ 2.198,75 para R$ 4.127,18.

Nesse caso, que agora sobe para julgamento no Tribunal Regional Federal da 3º Região, a viúva solicitava que todos os valores de contribuições pagos por seu marido, quando o mesmo já estava aposentado, fossem utilizados nos recálculos dos valores do benefício e incorporados na sua atual pensão por morte.

Para o advogado Guilherme de Carvalho, do escritório G.Carvalho, que encabeçou a ação, muitos aposentados que continuaram contribuindo para o INSS não tiveram tempo ou não conheciam os benefícios de pedir a desaposentadoria e agora a Justiça pode corrigir isso, com a incorporação da contribuição adicional no valor da pensão.

POLÊMICA - A questão é polêmica. Para o diretor da Associação dos Aposentados e Pensionados do Grande ABC, Luís Antônio Rodrigues, teria de haver uma outra forma de incorporar o período adicional para os pensionistas, que não seja utilizando o mesmo raciocínio da desaposentadoria, ou seja, a renúncia de um benefício por outro. “É complicado, não é uma revisão, e não dá para aposentar a pessoa depois de morta”, diz.

Ricardo Flaitt (Alemão) - Associando-se ao Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos com apenas 0,5% do seu benefício você conta com uma série de serviços gratuitos, descontos e vantagens, que asseguram seus direitos e melhoram sua qualidade de vida.


Com esta pequena contribuição os associados contam com plano de saúde com preço acessível; ampla equipe de advogados para garantir os seus direitos; agência de viagens, que prepara os melhores pacotes, para que você tenha lazer; disponibiliza colônias de férias na praia e no campo, com conforto e tranquilidade; realiza bailes com som ao vivo para a integração na terceira idade, proporciona descontos através de convênios com farmácias; óticas, auto-escolas, clínicas odontológicas, laboratórios e centros de reabilitação.

As vantagens do associado titular estendem-se a toda família, como as parcerias em faculdades e universidades, em que muitos idosos conseguem descontos importantes para seus filhos e netos.

Pare um momento e reflita. Quanto custariam todos esses serviços se você fosse adquiri-los fora do Sindicato? Com certeza pagaria muito mais do que os preços vantajosos dos serviços oferecidos pelo Sindicato por apenas 0,5% da sua aposentadoria.

A aposentada Luzinete Silva Bueno, sócia desde 2010, dá a dica: “Tornei-me sócio porque além de nos unirmos para conquistar avanços e melhorias para a terceira idade, sendo os serviços oferecidos pelo Sindicato bem mais baratos que os praticados no mercado, os descontos cobrem o que contribuo com o Sindicato e ainda saio no lucro. É uma vantagem muito grande se associar”, destacou.

Fique sócio do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos e desfrute de todas as nossas vantagens. Os interessados devem procurar a sede do Sindicato (Rua do Carmo, 171, Centro, São Paulo/SP) em posse dos seguintes documentos: número do benefício, RG, CPF, endereço completo (com CEP). No caso de cônjuge também devem ser apresentados RG e CPF.

Por Ricardo Flaitt (Alemão) - É dever do Estado proporcionar acesso à saúde a todos os brasileiros. Porém, como na prática o sistema é falho, o Sindnapi cria mecanismos para que as pessoas tenham acesso a plano de saúde.

Por Ricardo Flaitt (Alemão) – Quando convidamos aposentados, pensionistas e idosos para se associarem ao Sindicato, as primeiras perguntas que eles fazem são: mas para que ser sócio? O que eu ganho com isso? Quais vantagens eu terei?

Desidratação é uma doença potencialmente grave que se caracteriza pela baixa concentração não só de água, mas também de sais minerais e líquidos orgânicos no corpo, a ponto de impedir que ele realize suas funções normais.  A enfermidade pode ser secundária a diarreias agudas e afetar pessoas de todas as idades, mas é mais perigosa para as crianças (especialmente recém-nascidos e lactentes) e para os idosos.

Por Dr. Luiz Catanoce - Ser capaz de se equilibrar em uma perna parece ser um indicador de saúde do cérebro e de redução do risco de acidente vascular cerebral (AVC). Este estudo foi publicado na revista japonesa “STROKE”.

Semanalmente, a TV Aposentados apresenta quadros especiais para a Terceira Idade, discutindo e esclarecendo temas sobre saúde, direitos (jurídico) e notícias relacionadas aos interesses da categoria.

A presidente Dilma Rousseff, que está nos Estados Unidos para uma série de compromissos, assinou um acordo bilateral de Previdência Social entre o Brasil e os Estados Unidos, terça-feira (30/6).

Primeiro a inflação, depois os juros altos e, por fim, o desemprego. Esse é o processo natural de uma economia descontrolada, mal gerida e mal planejada que agora nos chega com a sua face mais cruel que é a perda de postos de trabalho generalizada.

A política econômica adotada pelo governo, com juros exagerados, inflação crescente e impostos e encargos proibitivos, entre outros equívocos, vem, há tempos, penalizando a classe trabalhadora.

Infelizmente o “bicho papão” está presente na nossa economia. A Inflação. Lembro-me quando era um adolescente lia alguns artigos de revista que ilustravam a inflação como um dragão voraz. Ele voltou e está atazanando a vida dos brasileiros.


A alta da inflação neste ano de 2015 tem sido a principal responsável pela elevação da taxa de juros Selic. Taxa esta que é a grande referência para o mercado financeiro e para a economia do país como um todo, pois representa o custo do dinheiro. A partir dela, todas as demais taxas são ajustadas, para mais ou para menos. Portanto, uma alta da Selic representa um maior potencial de ganhos nas “aplicações financeiras” e, ao mesmo tempo, um custo adicional para os tomadores de empréstimos. A estimativa do mercado, de acordo com a pesquisa de mercado Focus, bem como analistas e especialistas, é de que a Selic poderá atingir patamares próximos a 14% ainda neste ano e a inflação superar os 8% no período. Essa é expectativa dos entendidos para alegria dos Bancos.

É só olhar o cenário do ano de 2015 que já mostra, mais uma vez, as consequências de uma política econômica deletéria e desastrosa do Governo Federal na qual, desgraçadamente, o governo do Partido dos Trabalhadores têm insistido: esperar que apenas o juro alto dê conta de trazer a inflação oficial para o centro da meta projetada de 4,5% ao ano. Pura Ilusão. O Banco Central, ao elevar ainda mais o juro real, já o mais alto do planeta, em completo desalinho com as taxas médias reais próximas ou abaixo de zero praticadas lá fora, cria sequelas terríveis que, na prática, anulam o esforço inicial de contenção de demanda previsto pelos economistas oficiais.

Claro, para os investidores este cenário representa um maior risco e ao mesmo tempo uma oportunidade. Aliás, risco é oportunidade, pois quanto maior o risco de um investimento, maior seu potencial de ganhos. Risco porque a inflação elevada tende a exigir maiores rentabilidades das aplicações para que o investidor não fique no vermelho, pois há a possibilidade de seu investimento render menos que a inflação. Neste cenário, ele teria rentabilidade real negativa e, consequentemente, perda de patrimônio real. Mas isto representa também uma oportunidade, pois as taxas de juros dos investimentos, principalmente os mais conservadores e ligados à renda fixa, estão se elevando e, atualmente há excelentes investimentos, com riscos muito pequenos e grandes rentabilidades.

Por outro lado, os investimentos na velha “Caderneta de Poupança”, neste cenário, não são recomendados. Mesmo com a taxa de juros em alta e possivelmente superando 13% ao ano, a poupança deverá continuar com sua “minguada” rentabilidade inferior a 7% ao ano. Portanto, é bastante provável que a rentabilidade da Caderneta seja inferior a inflação, trazendo, desta maneira, perda de patrimônio real para o investidor.

Errado é o governo, que, anos a fio, se conforma em aceitar juros de mal pagador. Diferente de países de vida financeira normal, aqui a elevação de juros é comemorada por relevantes segmentos da economia, atrelados a vantagens na rolagem da enorme dívida dos governos estaduais, que consome a bagatela de R$260 bilhões ao ano em custo de financiamento. Nesse esquema até o Governo Federal, pasmem, “lucra” com os encargos que faz o contribuinte pagar, pois cobra Imposto de Renda aos rentistas.

Prof. Jânio Batista de Macedo – Presidente do SINDNAPI MS

O Instituto Tomie Ohtake tem alegrado a vida de muitas pessoas que gostam e apreciam arte. Depois de receber Yayoi Kusama e Salvador Dalí, a expectativa agora é para o também surrealista Joan Miró.


Para quem não conhece, Miró é um dos mais renomados artistas da história da arte e elegeu a liberdade como modo de viver e de pintar, transpondo as fronteiras entre a pintura e a poesia. Suas obras representam o universo onírico e a megaexposição contará com 112 obras: 22 esculturas, 26 gravuras, 41 pinturas, 20 desenhos e três objetos, além de fotografias sobre a trajetória do pintor.

INFORMAÇÕES DO EVENTO

Data(s): De 24 de maio a 16 de agosto de 2015

Horário(s): De terça feira à domingo, das 11h às 20h

Preço(s): Gratuito

Onde: Instituto Tomie Ohtake

Avenida Faria Lima, 201, (Entrada pela Rua dos Coropés, nº 88) - Pinheiros | 

A Pinacoteca do Estado de São Paulo, museu da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, apresenta em abril a exposição Sean Scully – 1974-2015, com abertura no dia 11 de abril.


Com patrocínio do Credit Suisse, da Oi, do Iguatemi São Paulo e apoio cultural do Oi Futuro esta é a primeira grande retrospectiva no Brasil deste consagrado artista irlandês. As obras de Sean Scully foram vistas poucas vezes no Brasil. Em 2002 na Bienal e no Centro de Arte Hélio Oiticica no Rio de Janeiro e agora na Pinacoteca, será possível conferir um panorama da sua criação em 46 trabalhos, produzidos entre 1974 a 2014, um amplo recorte que permite observar as variações do seu processo criativo.

Sean Scully nasceu na Irlanda em 1945, se educou em Londres e vive nos Estados Unidos desde 1975, onde se naturalizou.  É o pintor abstrato mais importante desta geração. Seu trabalho é aclamado internacionalmente e integra algumas das mais importantes coleções do mundo, incluindo o Metropolitan Museum of Art, Nova Iorque; Guggenheim Museum, Nova Iorque; Tate, Londres; Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madri; e Instituto Valencia d’Arte Moderna, Valência.

A pintura de Sean Scully é abstrata, composta por formas geométricas precisas, com linhas mais demarcadas e claras. Há telas com blocos que vêm para fora, com diferença de espessura. Utiliza uma variedade de paletas de cores que vão desde tons de preto e ricas variações de marrom e vermelho, até cores vibrantes como o azul-de-rosa e o amarelo canário.

Nesta exposição é possível conferir também aquarelas e pasteis menos conhecidas do grande público. Algumas de suas pinturas são muito impactantes por seu tamanho, como Darkness here, 1989. Exibida nesta exposição, é seu maior quadro, com 4 metros, e contribuiu para que Sean fosse mais conhecido a partir dos anos 90.

Com curadoria de Jacopo Crivelli Visconti, a exposição ocupará o primeiro andar da Pinacoteca de 11 de abril até dia 28 de junho de 2015.

Detalhes da carreira do guitarrista Jimi Hendrix e seu início, em Londres, serão exibidos na exposição "Hear my Train a Comin': Hendrix Hits London", que abre ao público de São Paulo nesta quarta-feira, dia 10, no Shopping JK Iguatemi. A Kiss FM é a única rádio que está apoiando esta exposição.


O público poderá conferir fotos, vídeos, entrevistas, roupas feitas sob medida, cartas enviadas aos fãs, instrumentos musicais, discos de sua coleção particular que o influenciaram, entre outros.

Entre os destaques estão um manuscrito da letra de "Love or Confusion", a jaqueta floral dourada desenhada pela Dandie Fashions em 1967 e a guitarra Fender Stratocaster usada no festival de Woodstock, em 1969. Pedaços da guitarra usada no festival de Monterey, que foi queimada no palco, também estarão expostos.

A mostra estará dividida em 14 seções, são elas Hendrix Jackets, Mitch Mitchel Focus, Case Lyrics: Love or Confusion, Hey Joe to Purple Haze, Walker Brothers Tour to Wind Cries Mary, Band Setup, Film Monitor, Are You Experienced to Monterey, Jimi´s Record Collection, Map Wall, Woodstock Strat, Saville Guitar Fragments, Monterey Guitar Fragments e Mixing Interaction.

Além dos itens de sua carreira, a exposição ressalta que foi na Inglaterra que Hendrix se consolidou como guitarrista. O músico recebeu um convite do baixista da banda The Animals, Chas Chandler, após vê-lo tocar com a banda Blue Flames, em Nova York. Chas convenceu Hendrix que Londres era mais aberta a novos estilos musicais e, assim, o fez cruzar o oceano.

Com curadoria de Jacob McMurray do EMP Museum (Experience Music Project Museum), a exposição é a primeira do projeto Samsung Rock Exhibition, que terá anualmente exposições dedicadas ao universo da música.

A mostra fica em cartaz até dia 31 de julho. 

Grid List

Por Ricardo Flaitt (Alemão) - O povo brasileiro carrega um peso excessivo em tributos e paga uma carga abusiva em taxas. Quando tratamos dos bancos, além das inúmeras tarifas de administração, se o aposentado precisa realizar uma operação como pagar conta, transferir dinheiro, quitar um boleto ou até mesmo conferir o extrato, dificilmente ficará livre de ver o seu dinheiro sobretaxado. “O povo brasileiro, principalmente o aposentado, não aguenta mais pagar tantos encargos”, destacou João Inocentini, presidente do Conselho de Administração da Coopernapi.

Por Ricardo Flaitt (Alemão) - O sonho de todo mundo é poder curtir as boas coisas da vida, como viajar e conhecer lugares novos e, assim, proporcionar momentos de bem-estar para o corpo, a mente e alma.

Próximos Eventos